Pages

6 anos com você!


"Estamos em hiatus no momento mas voltaremos."


Tsuna-Chan ~

Parte 3 : Shizuka: Lágrimas pesadas


Eu queria ir para a escola e vê-lo... Mas se eu o visse, acabaria me envergonhando com as atitudes da Naru... Será que ele ao menos notou algo em mim? Eu estava perdida... Como eu e a Naru estávamos brigadas, eu fui sozinha para a escola. Ás vezes era tão bom ficar sozinha...
Cheguei na escola, já correndo para sala. Percebi que alguém estava me seguindo. Virei disfarçadamente e percebi que a Naru estava correndo atrás de mim. Me apressei mais ainda e entrei na sala. Como a professora ainda não tinha chegado, Naru pode fazer seu espetáculo.
- SHIZUKAAAAA! Me perdoe!
Eu ainda estava irritada, mas não aguentei e comecei a rir que nem louca.
- O que foi?! - Naru disse.
 - Certo... Naru, por favor não faça mais isso.
O que eu estava falando?! Era óbvio que isso ia se repetir várias vezes.
- Claro, Shizuka!
Então, ela começou a contar coisas inúteis. Olhei para ela e fingi que entendia. A professora entrou e todos se calaram.
Dormi o resto da aula. Acho que somente o Miyamoto-san prestou atenção na aula. Chegando o intervalo, Naru resolveu não fazer mais obento, pois sempre esquecia em casa. E mais uma vez fiquei segurando vela.
- Naru... Se você quiser... Eu posso fazer seu obento - disse Miyamoto-san todo envergonhado.
- Awwwww! Muito Obrigada, Yuuto! - disse a Naru, quase gritando.
Senti alguém tocando o meu ombro e me virei de imediato.
Era um garoto. Provavelmente um senpai.
- Ei, você conhece o Kimura Akihiko? - disse o garoto.
- P-por que?
Ele se abaixou um pouco e sussurrou no meu ouvido.
- Ele quer sair com você.
Pude notar que a Naru escutou, pela cara que ela fez.
Doki doki, doki doki, doki doki. Meu coração bateu tão rápido.
- E então?! Você aceita sair com ele? - disse o garoto.
Ao mesmo tempo que eu queria dizer "sim", o minha timidez impossibilitava e o meu orgulho queria que fosse o Kimura-kun que dissesse isso.
Fiz a mesma coisa de sempre. Fugi. Sai correndo para um local mais quieto. E por mais estranho que fosse, o garoto correu atrás de mim. Ele se virou para falar com algum outro amigo e depois voltou a falar comigo.
- Você aceita ou não?!
Não respondi.
Naru veio correndo, me puxar, para onde o Kimura-kun estava. Gritei, esperneei, chorei, mas ela não deu a mínima. Chegamos, onde ele estava. Fiquei mais longe o possível dele. Naru gritou.
- Ei! Kimura! Venha aqui falar com ela!
Ele olhou para a Naru e desviou os olhos. Ela continuou a gritar, até que ele veio. Nesse momento, percebi que a escola inteira estava nos vendo. Podia ouvir sussurros "Beija ela!", "Abraça ele!" e vários outros.
Ele chegou perto de mim e disse.
- Oi. - acenou para mim.
- O-oi.
Ele esperou eu falar algo.
- Então... Tchau.
- T-tchau.
Minhas pernas se moveram sozinha. E mais uma vez, eu sai correndo, dessa vez eu realmente não queria!
Naru puxou ele e disse.
- Você gosta dela?!
- Não sei.
- Me responda!
- Não sei!
- Por favor!
Desviei meu olhar e sai da sua visão.
-Sim. - ele disse, bem baixinho para a Naru.
Não tinha certeza, se realmente era isso, ou foi somente minha imaginação. Meu cérebro dizia que era só imaginação. E eu também sabia disso. Mas meu coração sempre dizia ao contrário. E no final, eu acabei acreditando no coração.
Acabou a aula.
Eu queria ir para casa sozinha hoje, mas a Naru insistiu em ir comigo.
Realmente, hoje não consegui suportar e disse.
- Naru, eu lhe imploro, quero ficar sozinha e por meus sentimentos em ordem!
Achei que ela ia continuar insistindo.
- Ok, Shizuka. Boa sorte.
Sai correndo, queria chegar em casa o mais rápido possível. Mas alguém me parou.
- Oi. - disse o Shimizu-senpai.
Na verdade, eu só via o seu nome em primeiro lugar nas provas, mas nunca conversei com ele.
- Oi.
- Qual é o seu nome?
- Suzuki Shizuka. O seu é Shimizu Takumi, certo?
- Como você sabe?!
- Seu nome está sempre em primeiro lugar nas provas.
- Ah, entendo. Então, posso te chamar de Shizuka-chan?
Normalmente, ninguém me chamava assim, principalmente alguém que tinha acabado de me conhecer.
- P-pode.
- Então, Shizuka-chan está no 1-B, certo?
- S-sim!
- Preciso pegar uns materiais na sua sala, mas está trancada, você poderia pegar a chave?
- C-claro.
Peguei a chave e fui até a sala, Shimizu-senpai foi me seguindo.
- Shizuka-chan, você gosta do Akihiko?
- N-não!
- Hmmm... Entendo.
Abri a sala e ele disse.
- Esqueci o que eu ia pegar! Desculpe-me Shizuka-chan!
- Certo...
- Mas agora, já está muito tarde para uma garota ir sozinha para casa. Vou te levar em casa, ok?
Era óbvio que ele fez tudo isso, só para me levar em casa, afinal nem era tão tarde, só se passaram cinco minutos.
- Ok.
Na verdade eu realmente não entendi, o que o Shimizu-senpai queria. Ele acabou ficando corado e começou a falar sobre filmes, mangás. No final ele até que me animou, seu jeito envergonhado de falar coisas diversas era realmente engraçado. Ele me acompanhou até a estação. E disse.
- Sabe, eu realmente queria ser seu amigo...
- Hmmm... Então, a partir de hoje você é meu amigo! - esbocei um grande sorriso.
Ele ficou parado me olhando por uns segundos.
- E-eee... Eu fiz algo de errado? - disse.
- N-não... Bem, preciso ir. A-até amanhã.
- Até.
Aquele sentimento confortável... Shimizu-senpai me transmitia isso. Dei um passo e algumas lágrimas estavam caindo dos meus olhos... Não... Não eram lágrimas, era somente uma chuva. Estava sem guarda-chuva. Não queria me molhar, mas queria chegar em casa o mais rápido possível, afinal já estava escurecendo. Não tinha dinheiro para táxi. Corri, com o maior cuidado para não escorregar. Era irritante, como eu não conseguia diferenciar lágrimas da chuva. Na verdade, eu só fui perceber que eu estava realmente chorando, quando comecei a soluçar. Eu era uma idiota mesmo. Por que diabos eu estaria chorando? Corri o mais rápido possível. Cheguei em casa já a noite. Abri a porta e meu irmão já estava na porta me esperando.
- O que aconteceu? - ele disse.
- Eu acabei ficando na chuva...
Ele entregou uma toalha para mim. Esfreguei no meu rosto e quando menos percebi, meu rosto estava molhado de novo.
- Você... Está chorando?
- N-não...
Ele disse.
- Se você quiser, me conte depois.
Desabei as lágrimas, por que?! Naquele momento, eu só conseguia pensar no Kimura-kun. Eu estava envergonhada. Eu estava confusa. Ele realmente queria sair comigo?! Eu simplesmente odiava isso!

0 comentários:

Postar um comentário